Cooperativas e pandemia, como ajudar?

(Texto de Pedro Inacio Mezzomo)

A pandemia expôs a necessidade de sermos cooperativos. Aqui nada se conseguiria sem cooperação. Precisamos ver a forma de resolver o problema e não o modo de competir com o vizinho.

Para aliviar as dificuldades comunitárias encontradas em todos os países, surgiram alguns exemplos de cooperativismo que valem ser destaque.

Na Índia, em Kerala, foi fornecida informação à população e foi impulsionada a doação de recursos para um fundo de emergência ante o Covid-19, o que levou ajuda principalmente a agricultores.

Na China as cooperativas facilitaram a compra, a distribuição e a comercialização dos produtos rurais, de modo que grandes quantidades de produtos agrícolas foram adquiridos de províncias epicentros da pandemia.

Na Coréia do Sul as cooperativas de consumo proporcionam às comunidades locais máscaras, e alimentos grátis àqueles que necessitam.

No Quênia um banco cooperativo fez grande doação em dólares para o governo com fim de ajudar a conter a propagação da enfermidade. Também na África, Nigéria, o banco cooperativo fez importante ajuda médica a afetados pelo coronavírus. Na Nova Zelândia entidades representativas trabalham em temas chaves para que as cooperativas sejam parte da reconstrução da economia.

Na Lombardia, uma das regiões mais atingidas do mundo, as cooperativas oferecem aos cidadãos maiores de 65 anos a entrega gratuita de alimentos na localidade que os necessita.

Na França, várias cooperativas doaram equipamentos de proteção a profissionais da saúde da primeira linha. Na Suécia houve investimento milionário do ramo seguros para ajudar outras cooperativas e as pequenas e médias empresas.

Em todo mundo seguradoras cooperativas participaram com milhões de dólares para apoiar as comunidades locais principalmente para prover ajuda vital aos provedores de atenção médica, nos seus respectivos países.

Na Espanha criou-se um fundo de economia solidária para fortalecer projetos produtivos de alimentos e têxteis, buscando oferecer postos de trabalho. No Reino Unido o setor espera arrecadar 30 milhões de libras para ajuda aos mais afetados.

No Canadá, muitas das organizações cooperativas realizaram importantes doações a bancos de alimentos em várias regiões do país.

Nos Estados Unidos as cooperativas se tornaram serviços essenciais nas áreas de alimentos, agricultura, serviços públicos e de crédito. Havendo, inclusive, possibilidade de algumas pequenas empresas serem convertidas em cooperativas de trabalhadores e consumidores.

No Brasil cooperativas estão doando álcool e alimentos a hospitais. No México estão se adaptando a ajudar financeiramente as comunidades.

Estes são alguns casos. Precisamos deixar o individualismo e privilegiar modelos de cooperação.

(Texto baseado na opinião do presidente de Aliança Cooperativa Internacional, Ariel Guarco)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s