Cooperativas em perigo

Número de OPS ativas
Número de OPS ativas – Clique no gráfico para ampliar.

Há uma grande preocupação, no meio médico e entre clientes de Operadoras de Planos de Saúde, sobre a viabilidade das Cooperativas Médicas. Cabe lembrar que quando foi instituída a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS – pela Lei nº 9.961, de 28 de janeiro de 2000, existiam cerca de duas mil Operadoras de Planos de Saúde, num ambiente sem controle algum. Em março de 2016 estavam em atividade apenas 806, sendo 349 Cooperativas Unimed. Quantas das operadoras do ano 2000 que saíram do mercado eram cooperativas médicas Unimed?

Portanto, é descabido dizer que o sistema cooperativo de saúde está definhando. Temos dificuldades, internas e externas, nada diferentes de outras empresas, considerando principalmente a situação difícil do país.

Lembrar que as Unimeds formam uma rede ampla em toda extensão brasileira.

Essas dificuldades exigem comprometimento dos cooperados para gerar propostas e resultados positivos.

Resistimos porque vivemos a própria comunidade, porque as cooperativas de saúde são a maior oportunidade de trabalho na região sul do Brasil, porque os clientes apoiam a qualificação e os investimentos para o seu bem.

Anúncios

2 comentários sobre “Cooperativas em perigo

  1. A manifestação aqui apresentada é unicamente em decorrência de um viés de observação. Quero dizer que, se formos olhar os elementos que participam das administrações Unimeds, empregos gerados a pessoal não médico, investimentos em hospitais, sucessos em empresas médicas aoutogeradoras de exames periódicos, venda de medicamentos, órteses e próteses por parte de grupos com ganhos nunca imagináveis na medicina privada (custos estes arcados pelos médicos em consultórios), temos uma ideia de sucesso. Se olharmos para a grande massa de médicos que participam da cooperativa com seus consultórios destituídos de ganhos “extras”, de exames casados com as consultas, de comissões exorbitantes pagas por próteses, medicamentos, etc., nos deparamos por uma classe falida literalmente pelo esquema cooperativado. Atualmente, o médico que atenda Unimed em Caxias como seu maior volume (existe um certo monopólio Unimed em Caxias) e não utilize destes expedientes compensatórios antiéticos, não paga a despesa do consultório com seus rendimentos .
    Os administradores, é claro, fazem vistas grossas a este viés de observação porque obviamente lhes convém!

    Curtir

    1. Concordamos em todo conteúdo. Observado que temos na região três Operadoras de Planos de Saúde (OPS), que somam cerca de 40% do volume de pessoas com plano privado. Acrescente-se que temos pelo menos duas entidades de autogestão, na área de saúde, e que somam a cobertura para outro grande volume de pessoas.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s